Categorias
Adversidade

O Coronavírus virou uma pandemia. E agora?

O coronavírus ter virado uma pandemia e nos deixar em quarentena é um fato. Mas como podemos manter o controle nessa situação?

Compartilhe! ;)
coronavírus

Eis que surge o coronavírus e precisamos entrar em quarentena

O Coronavírus foi uma surpresa (ruim) muito inesperada no começo do ano, acho que não só para mim, mas para todos. Finalizei 2019 como sendo um dos melhores anos da minha vida. Muita coisa boa aconteceu. Consegui êxito em várias áreas da minha vida. Como não assisto tv, a notícia do surgimento de um novo vírus veio através de informação de amigos. Nem dei muita importância pois não gosto muito de falar sobre “o que estão falando na televisão”. Prefiro buscar informações que me impulsionem no momento que estou vivendo e naquele momento, coronavírus não fazia diferença para mim porque eu nem tinha viajado para fora a mais de um ano.

O ano de 2020 começou de vento em popa. Geralmente os primeiros 3 meses do ano são os meses que eu mais trabalho, e esse ano foi ainda mais corrido, graças a planejamentos que estou fazendo para o ano. Já era fevereiro quando voltei a ouvir falar sobre o coronavírus. Ai então comecei a ver pessoas ainda mais preocupadas e falando com mais ênfase nisso.

Agora é sério

Foi em março, exatamente no dia 12 que as coisas começaram a ser mais alarmantes até a hora que eu decidi acessar alguns sites de notícia a ver o que estavam falando sobre isso. Como eu ainda não tinha nenhum informação alarmante, achei tudo muito parecido com as notícias da H1N1, que estouraram os meios de comunicação em 2009. Lembro que na época, pouca coisa mudou na minha vida. Mas isso é assunto para ser tratado mais para a frente.

Enfim chega o dia 18 e começam acontecimento que eu nunca havia presenciado. Pessoas começa a se recolher e estocar alimentos. Pessoas mascaradas andando na rua e não se falava em outra coisa. Todas as pessoas sabiam que era o famoso coronavírus e ele era a maior ameaça do momento.

Enfim chega a notícia de que no dia 23 de março de 2020 várias empresas fechariam, inclusive o prédio onde trabalho fechou no dia 24. Eu comecei a pensar comigo mesmo como aconteceria daquele momento em diante. Para mim, pouca coisa mudou, pois continuo meu trabalho de casa sem problema. Computador é 50% do que eu preciso, os outros 50% são clientes.

É ai que começa a apertar. Clientes que trabalham com treinamento e festa se veem obrigados a cancelar os eventos. Isso começou a gerar outra busca: Como trazer os clientes físicos para o online. Algo desafiador para ser feito em tão pouco tempo, mas mesmo assim, precisávamos ajudar muitas pessoas que estavam presas dentro de casa com um pavor instalado pelas mídias.

A vontade que tudo volte ao normal

A vontade que tudo volte ao normal

Desde que isso tudo começou, eu só conseguia pensar uma coisa antes de dormir: “quando será que tudo vai voltar ao normal?”. Eu queria que os bares e restaurantes voltassem a ficar cheios novamente, pois existem pessoas (garçons cozinheiros, caixas, proprietários, etc.) muitas pessoas que foram afastadas de seus trabalhos e começaram a ficar sem fonte de renda. Fico me perguntando o que seria da vida de um feirante se ele não conseguisse montar sua barraca na feira, com filhos em casa para criar e contas para pagar. Essa era a minha maior preocupação, pessoas que diferente de mim não tinham como manter seus trabalhos por conta da quarentena que foi sugerida.

A vontade de que tudo voltasse ao normal me fazia entrar no Google todo dia e procurar por “vacina coronavírus”. Essa era a minha maior preocupação no momento, que tudo voltasse ao normal e as pessoas não passassem dificuldade.

Isso era algo além de parar com a transmissão e evitar mortes. Acredito que as pessoas que entram em ação (profissionais da saúde) são extremamente capacitadas para lidar com essas situações. Acredito que eles teriam sempre a melhor solução, o melhor tratamento dentro do conhecimento atual. Também acredito no esforço que vários países, inclusive o nosso, estão fazendo para derrotar essa adversidade.

Mas volto a dizer que minha preocupação era que tudo voltasse ao normal, pois os resultados dessa pandemia poderiam permanecer na nossa vida por longos meses, senão, anos.

Isso também passará

Isso também passará

O que mais me manteve afastado do pânico e desespero era saber que o mundo já passou por dificuldades parecidas durante a história. Me lembro de algumas dificuldades que passamos durante meus 30 anos.

Agora é a hora de falar sobre H1N1. Eu me lembro que em 2009 as notícias eram muito parecidas com as que que temos hoje: “vírus transmitido pelo ar, afeta sistema respiratório, fácil transmissão…” e por ai vai. Mas uma coisa que tenho certeza, é que a rotina de muitas pessoas que eu conheço não foram afetadas como hoje em dia. Eu realmente vejo algo de muito estranho nisso, mas o que importa de verdade é que passamos por isso com sucesso, e hoje a H1N1 não é algo que nos faz fechar a porta para o mundo.

Agora vou sitar casos que lembro da escola, ou de notícias. Febre amarela, Malária, Ebola, Dengue (sim, a dengue é tensa), AIDS (nos anos 80 e 90). Se formos mais longe na história temos a Lepra e a Peste Negra.

Eu site todas essas doenças que causaram muitas morte para te lembrar de que elas tiveram seus picos, e graças a profissionais da saúde que, antigamente, não tinham metade dos recursos que temos hoje, conseguiram controlar a disseminação. Muitas dessas doenças são um problema até hoje, mas nenhuma delas nos levou a extinção, assim como o coronavírus também não levará.

O que podemos fazer nesse momento

O que podemos fazer nesse momento

Chegamos ao ponto mais importante. O que CADA UM DE NÓS pode fazer no momento.

Primeiro de tudo acho que o mais importante é manter a calma. Sem calma, é impossível ver a melhor saída quando estamos com um problema.

Precisamos aceitar que a solução disso tudo não está APENAS na mão de uma pessoa, e sim em um trabalho conjunto de toda a população.

O melhor que podemos fazer neste momento é seguir as orientações do Ministério da Saúde que conta com a presença dos melhores profissionais da área do nosso país. Eles, com certeza, estão totalmente antenados na situação para dar as melhores dicas à população.

Caso você ache que o Ministério da Saúde só defende interesses políticos, pense novamente. Qual seria a intenção do país em ter a maior taxa de contaminados e mortes por um vírus. Acredito que até hoje lutamos para limpar nossa imagem da febre amarela. Pois é um fato que muitos países precisam da nossa carteira de vacinação atualizada para nos receber. Isso não é bom para nenhum país, pode ter certeza.

Enquanto é preciso ficar em casa, aproveitem para desenvolver novos hábitos positivos. Fiz um texto falando como desenvolvi o Hábito de leitura e isso é muito positivo para mim todos os dias. Aconselho que todos foquem um tempo para isso.

Quando o coronavírus passar, vai voltar tudo ao normal

Quando o coronavírus passar, vai voltar tudo ao normal

Hoje podemos ter uma situação muito adversa em nosso país por conta do vírus. Mas como eu disse acima, isso também passará. Pode ter certeza!

Mas com essa pandemia seguida de quarentena, tivemos vários ensinamentos. Um deles que me deixou boquiaberto foram as águas da cidade de Veneza, que por conta da quarentena voltaram a ser limpas.

O mundo inteiro conseguiu dar um respiro com essa quarentena mundial. Acredito que isso nos ensinou que devemos preservar melhor a nossa casa.

Todos nós gostamos de ganhar dinheiro, viajar, conhecer novas culturas e visitar outros países. Mas fica o ensinamento de que devemos fazer isso tudo sem prejudicar o planeta.

Se olharmos para os números de homicídio do nosso país, eles estão muito acima dos números de mortos pelo coronavírus e isso é uma preocupação que deveria ser diária, mas acabou se tornando rotina.

Aconselho a todos que acessem este link e vejam os números absurdos de homicídios e suicídios que acontecem diariamente. Tá ai números que devem parar de ser tratados como rotina e ter a mesma preocupação do coronavírus.

Foi preciso uma pandemia para que olhássemos melhor para “nossa casa” e ver que ela está bagunçada demais. Nosso planeta sofre diariamente com as agressões que causamos e que podem sim ser evitadas.

Muitas famílias tiveram a oportunidade de passar um tempo juntos e renovar os laços que a muito tempo tinham se perdido.
É uma pena que tudo isso tenha sido gerado pelo medo. Mas acredito que, agora, de olhos abertos, possamos enxergar o que é realmente importante para nós. Dar mais valor ao nosso planeta e às pessoas que estão do nosso lado.

Sejam fortes enquanto durar o coronavírus

Sejam fortes enquanto durar o coronavírus

Desejo a todos que sejam fortes. Principalmente às pessoas que foram afetadas direta e indiretamente por essa pandemia. Tenham força para superar essa maré ruim.

Tirem um aprendizado do momento que estão vivendo.
Meu grande aprendizado foi: Dê mais valor às coisas simples. São elas que mais importam.

Compartilhe! ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *