Categorias
Lifestyle

A maldição das 18 horas

O que você faria se descobrisse que está com uma maldição? Nada muito grave, mas parecia um resfriado que não passava. Enfim descobri e me curei!

Há vários dias venho notado que durante o dia meu cérebro parece pesado. Tenho que fazer bastante força para as idéias boas saírem dele. Tanta força que acabo ficando MUITOOOO cansado.

Tenho que parar várias vezes durante o dia para dar uma respirada e me concentrar um pouco em trazer meus pensamentos para o AGORA e parar de viajar.

Hoje, dia 08 de abril de 2020 exatamente às 23h50 minutos eu descobri por que isso tem acontecido comigo.

Outra coisa que lembrei de contar só agora é que acontece algo incrível. Trabalhar durante o dia tem sido difícil. Eu já trabalho em casa a mais de 6 anos, isso não é uma novidade com a qual estou me acostumando. Isso já é uma realidade normal para mim.

O que mudou nesses últimos dias foi que não tenho feito outras coisas fora de casa. Quando muito pego o carro e dou uma passada na praia, dentro do carro mesmo só para ver coisas diferentes da minha casa. Talvez isso tenha despertado uma crença que ainda existia dentro de mim.

Origem da maldição

Descobrindo a origem

Durante muitos anos acredite que eu precisava “me matar de trabalhar” para ter as coisas que eu quero. Sabe, aquelas crenças que você cresce ouvindo e te seguram como correntes?

“Nada vem fácil na vida.”
“Dei o sangue para construir/conseguir isso.”
“Estou me matando de trabalhar.”
“A vida não é fácil.”

– Antigo Edu

Pois é… eu acreditava em muitas coisas assim. E a grande parte das pessoas que conheço tem essas crenças também. Se você não tem, parabéns! A vida com certeza é melhor para você.

Mas o texto de hoje não é sobre crenças, e sim sobre a maldição das 18h00. Precisava falar sobre essas crenças ai, pois foi dai que nasceu essa maldição.

Quando eu tinha uns 20 anos, eu morava em Guarujá, litoral de São Paulo, e trabalhava na cidade vizinha (onde moro hoje), Santos. Pode parecer perto por serem cidades vizinhas mas eu morava em um bairro realmente afastado em Guarujá. Até chegar no trabalho eram cerca de 1h30 de moto e ainda tinha uma balsa no meio do caminho. Eu costumava acordar às 05h30 da manhã para chegar no trabalho às 7h30 e começar  a trabalhar às 8h00. Sinto até arrepios em lembrar dos dias de frio e chuva. Era uma combinação terrível.

No começo eu ainda fazia faculdade e chegava em casa meia noite. Tudo bem durante a faculdade pois eu estava investindo no meu futuro (era a ideia, pelo menos). Mas quando terminei a faculdade, vejam só vocês, eu tinha das 18h às 23h para me divertir e fazer coisas legais, e ainda me sobrava 1 hora a mais de sono. Que maravilha.

Era o que eu fazia. Sempre que sai do trabalho arrumava alguma coisa legal para fazer e me divertir. Aos poucos foi plantado na minha mente o seguinte: das 5h30 eu vou “dar duro”, me ferrar de trabalhar, e a noite eu me divirto e faço as coisas que gosto.

Esse cara da foto não sou eu, mas a foto dele ficou muito melhor do que a minha que tirei agora, acredite

Pronto, achei a maldição!

AHÁAAAA, você já deve ter percebido que fui eu mesmo quem criou minha maldição das 18h. Assim como a maioria dos problemas que tive, tenho e vou ter na vida, o significado que eu dei para aquela situação toda foi o que criou essa situação que hoje não me serve mais. Repeti isso durante alguns anos da minha vida, e de tanta repetição, estava meio tatuado, e bem escondido.

Acabou que isso ficou lá, quietinho, guardadinho e eu não tinha consciência. Aliás, acredito que um problema detectado é um problema 50% resolvido, acredite. Quando eu consigo detectar os problemas, fica muito mais fácil achar maneiras de solucioná-lo.

Mesmo tendo mudado radicalmente minha forma de trabalho e hoje trabalhar com o que gosto, nas horas que gosto (isso existe bastante disciplina) esse pequeno mas importante detalhe não tinha ficado para trás.

Por ser forçado com a situação atual a ficar dentro de casa, isso acabou despertando. Quando chegava às 18h eu estava EXAUSTO. Minha cabeça explodindo e eu nem conseguia mais pensar com exatidão. Ai resolvia parar de trabalhar, pois já não estava mais sendo produtivo e começava a relaxar.

Quando dava umas 20h a maldição ia embora. Era como se ascendesse uma luz no meu cérebro gritando: “Uhuuul, vamos lá! É hora da diversão”. Mas eu, malandro que sou, aproveitava que meu cérebro estava a mil novamente e me divertia trabalhando. Tem forma melhor de se divertir do que ganhar dinheiro?

Feliz depois que passou a maldição

Agora é só alegria!

Vou começar lembrado que eu posso me divertir o dia todo. Passar o dia inteiro criando coisas incrivelmente boas para mim e para meus clientes. Usando isso como diversão, e nada de querer “dar o sangue” para ninguém. Mesmo por que, não estou trabalho com vampiros. O que as pessoas precisam de mim são ideias geniais para solucionar um problema, ou falta de comunicação que estão tendo. Se tem algo que eu amo, é comunicar (menos por audio no Whatsapp, odeio!). Então partiu tornar os dias ainda mais produtivos e menos pesados.

Só eu sei o quanto me senti leve quando me dei conta do que estava acontecendo. Sou desses que fica quase flutuando quando descobre alguma coisa boa. Principalmente se for sobre mim mesmo.
Vou postar tarde mesmo, espero que você leia!!!

Compartilhe! ;)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *